O lado cruel do cinema: saiba quais filmes feriram e mataram animais

0
Compartilhar

O lado cruel do cinema: saiba quais filmes feriram e mataram animais

Explosões, batalhas e perseguições deixam qualquer filme mais emocionante, mas em alguns casos as consequências dessas cenas são trágicas. Animais se ferem e morrem, e alguns sequer participavam do elenco principal do filme.

 

Nas filmagens de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, 27 animais foram mortos. Cavalos usados nas filmagens caíram em buracos; galinhas, ovelhas e cabras que estavam na fazenda usada para as filmagens vieram a óbito devido à má alimentação e falta de cuidados nos abrigos.

 

Nas filmagens de As Crônicas de Nárnia, cavalos também se feriram. Em um só dia, 14 animais precisaram ser substituídos.

 

Em As Aventuras de Pi, o tigre de bengala King quase morreu em um tanque cheio d’água. O animal era colocado lá para nadar no set, durante as filmagens. Mas, cansado, se perdeu no tanque e quase se afogou.
Na maioria das cenas em que Pi interage com o tigre, o animal não é real, mas feito com computação gráfica. Entretanto, um tigre de bengala de verdade foi usado no sets para deixar o animal que aparece no filme com movimentos mais realistas.

 

Na série Luck, produzida pela HBO, o cavalo usado nas filmagens sofreu ferimentos tão graves na cabeça que foi sacrificado. Depois disso, a série foi cancelada.

 

Em Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, foram feitas tantas explosões que os peixes marinhos da região morreram.

 

No filme Everlasting Courage, produzido para a televisão, um cavalo ficou gravemente ferido após um pedaço de madeira de uma carruagem que quebrou e perfurou a perna do animal. O cavalo sentiu tanta dor e perdeu tanto sangue que o veterinário achou melhor sacrificá-lo. (Fonte: R7)

 


Cavalo morre após ser atingido por “iceberg falso” de set de Velozes & Furiosos 8 na Islândia.

Júpiter, como é chamado o equino, não estava envolvido na produção, mas pastava em um padoque nos arredores do local das filmagens. Fortes ventos jogaram a réplica de um iceberg usado no filme para longe, e a peça falsa acabou atingindo o cercado do animal e quebrando uma das pernas dele. Sem alternativas, o cavalo, então, teve que ser sacrificado.

Aparentemente, outro animal também foi ferido no acidente, mas se espera que ele consiga se recuperar completamente.


LISTA DE FILMES COM ABUSO ANIMAL

Esta lista, compilada pelo programa de investigação canadense “The Fifth Estate“, apresenta alguns filmes onde tal se verificou.

1894
Rat Killing: Cineastas de Thomas Edison produzem um filme onde é mostrado um cão fox terrier rasgando ratos.

1903
Electrocuting an Elephant: Mais uma obra dos cineastas de Thomas Edison. Desta vez, é mostrada a morte por eletrocutamento de um elefante chamado Topsy, que tinha matado a sua tratadora, após esta o alimentar com um cigarro aceso. Na curta-metragem, Topsy tem espasmos de dor, a pele começa a exalar fumo e, então, cai morto. O filme foi um sucesso de audiência.

1918
Tarzan of the Apes: Elmo Lincoln, o primeiro Tarzan de Hollywood, matou o leão que aparece combatendo no filme. O leão, alegadamente drogado, foi esfaqueado até à morte.

1925
Ben Hur: Pelo menos uma centena de cavalos foi dada como morta durante as filmagens deste clássico do cinema. A maioria das mortes ocorreu na filmagem da famosa cena da corrida de carroças.

1930
The Silent Enemy: Numa cena deste filme, são protagonistas um leão da montanha e um urso, que lutam um contra o outro. Para a produção desse confronto, os dois animais foram mantidos em jaulas durante vários dias, sem comida, e então libertados para disputar a todo o custo a carcaça de um veado.

1931
Trader Horn: Nomeado para melhor filme. Para a produção de uma das cenas, leões foram deixados com fome e depois libertados para perseguir hienas, macacos e um veado, que estavam presos numa cerca para não poderem escapar. Estas filmagens ocorreram no México para não serem afetados pelas leis de proteção dos animais.

1936
The Charge of the Light Brigade: 25 cavalos morreram durante a filmagem da famosa batalha. Foi tão grande a brutalidade que chamou a atenção do congresso americano que, pela primeira vez, começou a debruçar-se sobre a problemática da crueldade contra os animais nos filmes.

1939
Jesse James: Um cavalo morre depois de ser atirado numa queda superior a 20 metros. Esta cena foi a catalisadora para que a American Humane Association começasse a supervisionar a segurança e o conforto dos animais utilizados em filmagens.

1979
Apocalypse Now: Um boi é cortado a meio durante uma encenação de um sacrifício.

1980
Heaven’s Gate: Quatro cavalos morreram durante as filmagens. Um dos cavalos morreu depois de ter sido detonado com um explosivo debaixo dele.

1981
Reds: Vários cavalos foram violentamente atirados para o chão em plena corrida.

1984
The Heart of the Stag: Um veado morreu de stress durante a filmagem da cena mais dramática. Para não estragar a cena, a cabeça do veado foi cortada e o ator foi filmado em close-up lutando contra ela.

1988
Project X: Vários chimpanzés foram abusados durante as filmagens deste aclamado filme de Hollywood. As autoridades de Los Angeles e a American Humane Association iniciaram uma investigação às denúncias desses abusos, mas a investigação foi interrompida por motivos desconhecidos antes de ser conhecida qualquer conclusão.

Rambo 3: À semelhança de “Reds”, fios elétricos foram usados para deitar cavalos ao chão.

1999
The Thirteenth Warrior: Dois cavalos foram feridos durante a produção do filme. Um dos cavalos acabou por ser abatido depois de um fio ter cortado o tendão de uma das suas patas.

2005
Manderlay: Um burro foi abatido para a produção de uma cena dramática. O ator John C Reilly abandonou o filme em protesto e a cena acabaria por ser removida na montagem final.

Flicka: Dois cavalos foram mortos durante as filmagens. Um dos cavalos morreu após levar um coice na cabeça por outros cavalos, durante a filmagem de uma cena que descreve uma partida de cavalos selvagens.

 

 

Fonte: foconopet.com.br

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *